07 março 2018

Ser Amor

Cansei-me de ser "Amor"
de amar só eu, pelos dois
no antes, no depois e o agora,
amanhã será tarde demais
já não haverá o depois....
Amei cada hora, cada minuto,
cada momento que ficou em bruto
cada olhar, cada gesto, cada respiração
por cada vez que me davas a mão...

Esperei cada dia, cada amanhecer
por algo novo que te fizesse reviver
com  a mesma alegria de outrora,
com que me enfeitiçavas
o coração naquele hora...
Talvez não te lembres
do nosso primeiro encontro,
do nosso primeiro beijo
da alegria e do sorriso
que brilhavam em nosso rosto...

Aos poucos os anos passaram
memórias fraquejaram
incompreensões surgiram,
sobraram apenas lamentos
no lugar dos sentimentos,
que mergulhavam só nós os dois
nas asas do pensamento...


3 comentários:

Ana Freire disse...

Um poema muito belo, e muito lúcido...
Há tantos amores assim... que não resistem aos desafios da vida... e não resistem ao tempo...
Beijinhos! Bom final de domingo!
Ana

Toninho disse...

É arte da poesia, criar situações e emoções.
Assim uma perfeita construção de uma desilusão, desencanto amoroso
tão comum neste mundo desprovido de sentimentos puros Luisa.
Engraçado com a poesia faz beleza de um sentimento doloroso, a perda de cumplicidade.
Inspiração perfeita ainda que doa.
Carinhoso abraço poetisa.

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Amiga, esses dias recebi muitos abraços, reais e virtuais.
É engraçado como um simples abraço faz-nos sentir bem.
em qualquer lugar ou língua.É sempre compreendido...
E abraços não precisam de equipamentos, pilhas ou baterias especiais,
É só abrir os braços e os corações...

Guarde este abraço da amiga Lourdes e tenha um lindo início de semana.